Palestra-debate: 100 Anos da Revolução Árabe

No próximo dia 20, Rui Costa Pimenta apresentará uma palestra-debate com o tema: A Revolução Árabe de 1916.

100 anos atrás, em 5 de junho, em meio à Primeira Guerra Mundial, um levante nacionalista se iniciou no eixo do mundo Islâmico, em Meca, com o objetivo de conquistar a independência dos governantes turcos Otomanos e criar um Estado árabe unificado de Aleppo, na Síria, até Aden, no Iêmen. Tal movimento durou de 1916 até 1918, com a derrota dos turcos e a divisão do Império Otomano.

Tal episódio foi uma autêntica revolta nacionalista, cujas necessidades históricas das etnias que figuravam o Império, tomado naquela época pelo nacionalismo turco, de conquistarem a independência moveu dezenas de milhares.

O imperialismo também tinha interesse em dividir o território, visto que o Império Otomano era a maior potência da região e as potências mundiais tinham interesse em explora-la.

Diante disso, os imperialistas da Entente, principalmente os ingleses que, inclusive, teve um agente seu, Thomas Edward Lawrence, como uma das principais figuras da revolta, resolveram apoiar o movimento pela independência das nações.

Após a divisão do Império e o fim da Primeira Guerra Mundial, o imperialismo se juntou para repartir a região. A Inglaterra, que já tinha o controle do Egito desde os anos 1800, passou a controlar também a Palestina, a Transjordânia e Iraque, enquanto a França comandava a Síria e Líbano.

A dominação imperialista também entrou em crise com os árabes nos anos 30, mais exatamente entre 1936-1939, com outro levante nacionalista contra a exploração britânica e francesa.

A compreensão desses episódios é essencial para a compreensão do nacionalismo nestes países e a crise do Oriente Médio, que vai se tornando cada vez mais aguda.

Na palestra-debate do dia 20, Rui Costa Pimenta fará uma análise marxista da Revolução Árabe levando também as consequências dela para a atual situação destas nações.

O evento acontecerá no Centro Cultural Benjamin Péret, às 15h e também será transmitido pelo Causa Operária TV no YouTube.